quarta-feira, 30 de junho de 2010

A busca pela casa (de festas) perfeita - Parte 2

Ficamos noivos em outubro de 2009 (o noivado vai ganhar um post especial, FATO) e, logo no início de 2010 começamos a pesquisar e visitar casas de festas para o grande dia!

Sabíamos desde o começo que queríamos um lugar que tivesse espaço para cerimônia no local, tendo em vista que não somos católicos praticantes e não víamos sentido em casar em nenhuma religião.

Conversando com o Beto, vi que queríamos várias coisas em comum... Um casamento despojado, com algum tipo de ligação com a natureza. A idéia inicial do noivo era casar na praia - lugar sempre muito presente na vida do casal - e então começamos a ver as opções de casamentos na praia.

De cara, vi que não era fácil, a não ser que fossemos milionários e tivéssemos dindim para fazer um casório em Búzios, com direito a bancar hospedagem pro povo. rs Aí seria moleeeee! rsrs E, mesmo que fazer uma festa fora do Rio fosse acessível financeiramente (pra nós, não é), tirar nossas famílias do Rio não era opção.

Como o noivo é de Niterói, o primeiro lugar que visitamos foi o Itacoatiara Pampo Clube. A praia de Itaquá é lindaaa e o clube é quase na areia. Chegamos lá com uma amiga que é sócia do clube num domingo de manhã com um sol maravilhoso!

O salão tinha um tamanho bom para nosso número de convidados (170) e dava para fazer a cerimônia na varanda, apesar de ficar um pouco apertado. Lá, aluga-se somente o salão, sem mobiliário, o que pra gente era ótimo, pois poderíamos personalizar nossa decoração.

Mas... tinham vários contra para nós...

O lugar não tem estacionamento, e, como a idéia era casar no final da tarde para aproveitar o visual do pôr do sol, iríamos pegar a praia cheia ainda em pleno meados de novembro. Imaginem o sufoco para conseguir um vaga em pleno verão? Tirando que, quem conhece Niterói sabe da fama da cidade... "Vá a Niterói e ganhe uma multa"! rsrs Não dava para expor nossos convidados a isso, né?

Ainda sobre o verão... O lugar é um salão fechado e só tinha 2 ventiladores bemmmm antigos. Sabem aqueles de repartição pública de filme? Esses mesmos! Com certeza teríamos que alugar mais ventiladores pro casamento.

Enfim, achamos o aluguel muito caro para o que eles ofereciam. Teríamos que contratar várias coisas por fora para a festa ficar com uma infra-estratura boa. Além do mais, Itacoatiara é longe pra caramba! Apesar do noivo ser de Niterói, maioria esmagadora dos convidados é do Rio.


Ainda seguindo a linha casamento na praia, fomos conhecer o Grumari Beach Garden.

Quando eu descobri esse lugar fiquei eufórica! rsrsrs O orçamento era bom demais pra ser verdade e a cerimônia era na areia da praia de Grumari!! O Beto amou a opção, e fomos logo no primeiro sábado que deu.
Mas nós não sabíamos o quanto Grumari é longeeeee!!!! rsrsrs Estávamos no Recreio, na casa da minha cunhada e mesmo assim demoramos um tempão pra chegar no clube.



Assim que chegamos, ficamos encantados com a beleza natural do lugar. Um verde sem fim, um gramadãããããooo e ELE, o mar! Muito bonito mesmo!


Já o clube não estava em boas condições. Lá tem dois "chalés" para aluguel por temporada e eles estavam ocupados, tinha até varal de roupa lavada e tudo, além de uma grande bagunça no entorno deles desses espaços. A equipe do GBG explicou que, em dia de casamento esses lugares ficam reservados para a festa, evitando bagunça, mas a primeira impressão foi ruim, de abandono do espaço, sei lá.


A área coberta do clube é bem pequena, resume-se basicamente a uma varanda, cozinha e banheiros (que, por sinal, estavam em péssimas condições no dia que visitamos). Por isso, é recomendado o aluguel de toldos para serem colocados no gramado.


Mesmo com a condição não muito legal da casa, ainda consideramos de verdade fazer nosso casamento lá, pela beleza natural e pelo preço, que cabia no nosso bolso.


Mas não conseguimos... Depois que fomos lá tive pesadelos com acidentes dos nossos convidados voltando na estradinha que chega até Grumari e MUITOS, MUITOS PESADELOS COM A CHUVA.


Lá, apesar de ter algum espaço coberto e da possibilidade de ser colocar toldos, perde, na nossa opinião, todo o brilho em um dia sem sol. E eu, virginiana como sou não conseguiria viver quase dois anos pensando se vai chover ou não no dia.


Por isso, apesar de lindo e com um preço justo, o Grumari foi "eliminado". rs


Volto amanhã, com a saga das casas de festas da Zona Sul!


Um beijo,
Juju

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...